Semana: de Semana: de 14 a 19 de Setembro de 2020

ESCLARECIMENTOS

ENQUANTO ESTIVEREM SUSPENSAS

TODAS AS REUNIÕES

Tendo em vista as contingências atuais, que nos impossibilitam a realização das reuniões públicas presenciais, com os passes (como já é do conhecimento de todos), com o objetivo de melhor esclarecer, informamos:
(1) Manteremos a nossa programação atualizada, para a eventual liberação e voltarmos à normalidade; então, não ocorrerá nenhum improviso, pois manteremos esta programação disponível.
(2) Durante este momento especial, continuaremos com a nossa reunião virtual, ao vivo, às segundas-feiras às 19h, pelo Facebook e Instagram. Abordando o tema previsto na programação, para cada semana.
(3) Nosso objetivo é possibilitar, pelo menos uma vez na semana, o estabelecimento da conexão de todos pelo pensamento e desta forma, além do prosseguimento dos estudos evangélicos e doutrinários, continuarmos a nos fortalecer para o trânsito deste período com: tranquilidade, fé e esperança... Como dizia o nosso Chico: “-Tudo passa... isto também vai passar.”
(4) Estamos trabalhando no aprimoramento desta nova experiência: nossa reunião virtual às segundas-feiras, 19h; contamos com a compreensão de todos, pelos imprevistos, quando ocorrerem, principalmente aqueles que independam do nosso controle. (LAR DE TEREZA: Área de Estudos Doutrinários)

Tema da Semana:

O PODER DA FÉ

(O Evangelho segundo o Espiritismo Capítulo XIX – 1 a 5 - Allan Kardec)

1.Quando ele veio ao encontro do povo, um homem se lhe aproximou e, lançando-se de joelhos a seus pés, disse: Senhor, tem piedade do meu filho, que é lunático e sofre muito, pois cai muitas vezes no fogo e muitas vezes na água. Apresentei-o aos teus discípulos, mas eles não o puderam curar. – Jesus respondeu, dizendo: Ó raça incrédula e depravada, até quando estarei convosco? Até quando vos sofrerei? Trazei-me aqui esse menino. – E tendo Jesus ameaçado o demônio, este saiu do menino, que no mesmo instante ficou são. – Os discípulos vieram então ter com Jesus em particular e lhe perguntaram: Por que não pudemos nós outros expulsar esse demônio? – Respondeu-lhes Jesus: Por causa da vossa incredulidade. Pois em verdade vos digo, se tivésseis a fé do tamanho de um grão de mostarda, diríeis a esta montanha: Transporta-te daí para ali e ela se transportaria, e nada vos seria impossível. (S. MATEUS, 17:14 a 20)
2.No sentido próprio, é certo que a confiança nas suas próprias forças torna o homem capaz de executar coisas materiais, que não consegue fazer quem duvida de si. Aqui, porém, unicamente no sentido moral se devem entender essas palavras. As montanhas que a fé desloca são as dificuldades, as resistências, a má vontade, em suma, com que se depara da parte dos homens, ainda quando se trate das melhores coisas. Os preconceitos da rotina, o interesse material, o egoísmo, a cegueira do fanatismo e as paixões orgulhosas são outras tantas montanhas que barram o caminho a quem trabalha pelo progresso da Humanidade. A fé robusta dá a perseverança, a energia e os recursos que fazem se vençam os obstáculos, assim nas pequenas coisas, que nas grandes. Da fé vacilante resultam a incerteza e a hesitação de que se aproveitam os adversários que se têm de combater; essa fé não procura os meios de vencer, porque não acredita que possa vencer.
3. Noutra acepção, entende-se como fé a confiança que se tem na realização de uma coisa, a certeza de atingir determinado fim. Ela dá uma espécie de lucidez que permite se veja, em pensamento, a meta que se quer alcançar e os meios de chegar lá, de sorte que aquele que a possui caminha, por assim dizer, com absoluta segurança. Num como noutro caso, pode ela dar lugar a que se executem grandes coisas. A fé sincera e verdadeira é sempre calma; faculta a paciência que sabe esperar, porque, tendo seu ponto de apoio na inteligência e na compreensão das coisas, tem a certeza de chegar ao objetivo visado. A fé vacilante sente a sua própria fraqueza; quando a estimula o interesse, torna-se furibunda e julga suprir, com a violência, a força que lhe falece. A calma na luta é sempre um sinal de força e de confiança; a violência, ao contrário, denota fraqueza e dúvida de si mesmo.
4. Cumpre não confundir a fé com a presunção. A verdadeira fé se conjuga à humildade; aquele que a possui deposita mais confiança em Deus do que em si próprio, por saber que, simples instrumento da vontade divina, nada pode sem Deus. Por essa razão é que os bons Espíritos lhe vêm em auxílio. A presunção é menos fé do que orgulho, e o orgulho é sempre castigado, cedo ou tarde, pela decepção e pelos malogros que lhe são infligidos.
5. O poder da fé se demonstra, de modo direto e especial, na ação magnética; por seu intermédio, o homem atua sobre o fluido, agente universal, modifica-lhe as qualidades e lhe dá uma impulsão por assim dizer irresistível. Daí decorre que aquele que a um grande poder fluídico normal junta ardente fé, pode, só pela força da sua vontade dirigida para o bem, operar esses singulares fenômenos de cura e outros, tidos antigamente por prodígios, mas que não passam de efeito de uma lei natural. Tal o motivo por que Jesus disse a seus apóstolos: se não o curastes, foi porque não tínheis fé.



Bibliografia complementar sugerida:
- Estudos Espíritas - capítulo 14 - Fé - Divaldo F. Barbosa/Joanna de Ângelis, LEAL;
- O Evangelho dos Humildes - cap. XVII - vv -14 a 19 - comentários - Eliseu Rigonatti, Pensamento;
- Jesus e o Evangelho à luz da psicologia profunda - Poder da Fé - it. 2 – 3 – Joanna de Ângelis (D.P. F.), LEAL.
- Estudos Espíritas do Evangelho - Perguntas dos apóstolos, item 3, pag. 174 - Therezinha Oliveira, Allan Kardec.

NA GRANDE ROMAGEM

Fonte Viva

“Pela fé, Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu, sem saber para onde ia..”
Paulo (Hebreus, 11:8)

Pela fé, o aprendiz do Evangelho é chamado, como Abraão, à sublime herança que lhe é destinada.
A conscrição atinge a todos.
O grande patriarca hebreu saiu sem saber para onde ia...
E nós, por nossa vez, devemos erguer o coração e partir igualmente.
Ignoramos as estações de contato na caminhada enorme, mas estamos informados de que o nosso objetivo é Cristo Jesus.
Quantas vezes seremos constrangidos a pisar sobre espinheiros da calúnia?
Quantas vezes transitaremos pelo trilho escabroso da incompreensão? Quantos aguaceiros de lágrimas nos alcançarão o espírito? Quantas nuvens estarão interpostas, entre o nosso pensamento e o Céu, em largos trechos da senda?
Insolúvel a resposta.
Importa, contudo, marchar sempre, no caminho interior da própria redenção, sem esmorecimento.
Hoje, é o suor intensivo; amanhã, é a responsabilidade; depois, é o sofrimento e, em seguida, é a solidão...
Ainda assim, é indispensável seguir sem desânimo.
Quando não seja possível avançar dois passos por dia, desloquemo-nos para diante, pelo menos, alguns milímetros...
Abre-se a vanguarda em horizontes novos de entendimento e bondade, iluminação espiritual e progresso na virtude.
Subamos, sem repouso, pela montanha escarpada:
Vencendo desertos...
Superando dificuldades...
Varando nevoeiros...
Eliminando obstáculos...
Abraão obedeceu, sem saber para onde ia, e encontrou a realização da sua felicidade.
Obedeçamos, por nossa vez, conscientes de nossa destinação e convictos de que o Senhor nos espera, além da nossa cruz, nos cimos resplandecentes da eterna ressurreição.


Emmanuel (Do livro: Fonte Viva - Capítulo 3- médium: Francisco Cândido Xavier, FEB)

Horários

Sede (Copacabana)
quarta: 8h30min e 19h30min
sexta: 16h

Núcleo Paulo e Estêvão
segunda: 14h, 17h30min, 19h e 20h30min
terça: 08h30min
quarta: 14h
sexta: 14h, 18h e 20h

Núcleo Emmanuel (Jacarepaguá)
terça: 14h
quarta: 20h

Casa de Renato (Austin)
sábado: 17h


Expositores previstos da semana

Sede (Copacabana)
16/09 (quarta) - 08h30min - Jeannette Riddell
16/09 (quarta) - 19h30min – Elisa Hillesheim
18/09 (sexta) - 16h - Marilena Kfouri

Núcleo Paulo e Estêvão
14/09 (seg.) - 14h - Céres Monteiro
14/09 (seg.) - 17h30min – Maristela Santos
14/09 (seg.) – 19h - Lucas Antunes
14/09 (seg.) – 20h30min - Lucas Antunes
15/09 (ter.) - 08h30minh - Nádia Lúcia
16/09 (qua.) - 14h – Eder Andrade
18/09 (sex.) - 14h – Márcia Prates
18/09 (sex.) - 18h - Mariana Lutterbach
18/09 (sex.) - 20h - Mariana Lutterbach

Núcleo Emmanuel (Jacarepaguá)
15/09 (terça) - 14h – Aguardando
16/09 (quarta) - 20h - Aguardando

Casa de Renato (Austin)
19/09 (Sábado) – 16h30 – Aguardando


OBS.:

OBS: Para consultar a programação do mês, completa, acesse o NRI: Novos Rumos Informativo, neste mesmo site.